Verdade Oculta

MERITOCRACIA

MERITOCRACIA
Há quem julgue que a maneira mais justa e eficaz de alavancar uma sociedade e promover o progresso da mesma é através da meritocracia, isto é, pelo poder do mérito pessoal, o mais apto, inteligente, esforçado, competente é que deve ocupar sempre os melhores postos, seja nas empresas em geral como nas repartições públicas.
Sem ser redundante, a meritocracia tem os seus méritos, mas dentro do contexto social a onde o indivíduo está inserido, por exemplo: numa mesma empresa, onde todos estão na mesma posição de igualdade, é justo que, o mais competente na média geral, suba de posto.
Mas aplicar a meritocracia na sociedade em geral é fora de proporção, numa sociedade onde reina a desigualdade de oportunidades, que mérito tem alguém que nasceu numa família de classe média, que sempre estudou em escola particular, sempre teve de bom e melhor em relação aos demais que não tiveram as mesmas oportunidades?
O mérito precisa sempre ser avaliado por um terceiro. Por mais mérito que alguém tenha, o mesmo não pode ser autoafirmar, a não ser que seja ele o dono do negócio. Por exemplo: o dono de uma empresa, nem sempre é proprietário por méritos próprios, muitas vezes o mesmo recebeu a empresa por herança e, é o dono da empresa que não tem méritos, mas tem o poder de definir quem tem méritos, é quem escolhe os seus subordinados.
Então numa sociedade capitalista os detentores dos meios de produção, não dependem de méritos, pois possuem o poder de aceitar ou não quem vai trabalhar em suas empresas, são eles que julgam os méritos dos seus empregados e, é lógico sempre de acordo com o critério da produtividade e menor custo possível. Portanto, quem tem méritos é dependente do reconhecimento de alguém que está acima dele.

Deixe uma resposta