Verdade Oculta

DESIGREJADOS

DESIGREJADOS

“Amauri, o que você achou da participação do irmão Rubens no programa RIT tv defendendo os desigrejados?”
Foi bem, mas é complicado expor novos paradigmas dentro de um contexto tradicional.
Veja que, o irmão Rubens enfatizou a maneira correta de ler as Escrituras, ou seja, linearmente, porque daí o entendimento fica limitado a um contexto, não dando margem para que o leitor faça interpretações subjetivas.
O importante foi ele ter deixado claro que, a salvação é um ato de fé na pessoa do Salvador. O conhecimento da leitura das Escrituras em si mesmo não salva. É como um mapa do tesouro, conhecê-lo, ainda que profundamente, não significa ter o tesouro, mas uma vez com o tesouro, o mapa pode ser passado para outros encontrarem o tesouro.
Então, o conhecimento das Escrituras é como um mapa do tesouro, que nos aponta o caminho.
O Rubens enfatizou que, a salvação só depende da fé no Salvador e nada mais, porque se colocarmos outra coisa junto com a fé na pessoa dele, estaremos negando a eficácia completa da morte dele na cruz. O ato de sacrifício que Ele fez por nós foi completo e, basta.
O problema maior é que, o sistema religioso como um todo, passa a ideia para as pessoas de que, é preciso além da fé no Salvador fazer alguma coisa para completar e conservar a salvação. Daí, cada sistema tem as suas próprias fórmulas, por exemplo:um diz que é preciso frequentar templos e obedecer os pastores, outra enfoca nos rituais, outra ainda no estudo bíblico… E assim, cada uma tem uma maneira própria de prender as pessoas, forçando-as a fazerem uma série de coisas para garantir a salvação, sendo que tudo já foi feito, basta apenas crer e seguir o Salvador de acordo com as Escrituras.
É como alguém que ganhou de presente uma estada de um mês num hotel fazenda cinco estrelas, ele não precisa fazer nada, apenas aproveitar tudo que o hotel oferece, mas um outro alguém, convence o mesmo de que é preciso que ele faça serviços no hotel para pagar de alguma forma o presente que recebeu.
Existe também um conceito de que, é preciso fazer cultos, dizimar, cantar, reunir, ouvir mensagens e etc, como meio de vencer as tentações do pecado. Mas, se a fé no Salvador não vence o pecado, o mundo, o diabo, será que essas coisas vencerão?
Agora, o sujeito tem o livre arbítrio para se fazer, por exemplo: se o sujeito achar que é preciso passar a andar de joelho como forma de agradecer pela sua salvação, tudo bem, é uma escolha dele, não foi o Salvador Jesus que pediu, embora o mesmo tenha a liberdade de dizer que foi. Por isso, para nós deve valer apenas o que diz as Escrituras, e, não o homem.