Verdade Oculta

CONHECER, COMO NÓS CONHECEMOS

CONHECER, COMO NÓS CONHECEMOS
A principal meta da Fenomenologia, filosofia fundada por Edmund Husserl, é conhecer como adquirimos o conhecimento.
Segundo a Fenomenologia, o conhecimento começa pela percepção externa na presentificação da consciência com o fenômeno, também, aprende-se por outra vivencia – a representação, por intermédio da cognição.
Por exemplo: grande parte da população só pode aprender sobre o surgimento de uma nova bactéria ou vírus através de representações ( textos e imagens), porém, o conhecimento do fenômeno começou pela presença do cientista no laboratório, pela percepção externa, nesse caso a visão, com uso de aparelhos.
A percepção externa capitula o fenômeno, nesse momento o fenômeno passa a existir para uma consciência e, essa priori de correção, consciência-fenômeno não é apenas psicológico, mas também é um ato da inteligência, porque o sujeito se dá conta, ou seja, é consciente que tem consciência do fenômeno.
Todo fenômeno capitulado pelo sujeito passa a fazer parte da memória do mesmo e, a memória é a base para a imaginação, por exemplo: a memória é um mosaico de inúmeras fenômenos capitulados pela percepção. A imaginação é um tipo de fios que interligam todas as memórias vividas, de acordo com os momentos e as circunstâncias que se apresentam ao sujeito.
Posso imaginar uma cachorro com asas, porque tenho consciência do cão e de aves, então a imaginação junta fenômenos conscientes, mas jamais posso imaginar algo que não tenho consciência. Por isso, a consciência é a nossa janela para o mundo, mas ao mesmo tempo é também o espelho que revela a nós mesmos.