Verdade Oculta

Análise sobre casamento e separação

Análise sobre casamento e separação – Entendendo a importância desta informação.
Não devemos esquecer que numa separação era sempre a mulher que ficava, digamos assim, na pior, desamparada, era ela que se dava mal pois não tinha nem propriedade, pois só os homens tinham direito a separação/desquite/divórcio
De maneira que os homens naquela época tinham várias mulheres e não eram maus vistos ao contrário da mulher. Nesta época o homem não traía só a mulher!!!
Se a traição fosse da parte da mulher esta era digna de apedrejamento, na pior das hipóteses
Vamos a um exemplo:
Já pensou o casal que vive entre brigas, xingamentos, raiva, desrespeito, falta de amor um para com o outro e em muitos casos é tão sério que leva ATÉ A MORTE!!
Se mesmo com todos estes agravantes não pudessem separar-se pelo que disse o Salvador (a não ser por morte ou adultério) se acaso o casal entrassem num “acordo” de um trair o outro (já que as coisas entre ambos vão de mal a pior) neste caso eles poderiam se separar/desquitar, pois houve traição/adultério de uma das partes ou das duas. Assim os conjugues estariam livres pra viver suas vidas
EU penso que o Salvador, que nos deixou o mandamento do amor ao próximo, a Lei do Criador seu Pai, não gostaria de saber que duas pessoas estão infelizes no casamento, ou seja, no convívio a dois
OBS: O VERDADEIRO casamento não é o que nos ensinou a religião (seja ela qual for), o VERDADEIRO casamento na Escritura é morar junto: “”Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne”
Este é o casamento que está na Escritura e não esta cerimônia PAGÃ que se pratica no MUNDO todo, como: ter a benção de um líder religioso, vestido de “casamento”, véu, grinalda, arroz, dama de honra, ritual litúrgico, VOTOS SOLENES, este casamento não existe na Escritura. O que a Escritura cita é a festa de casamento a qual até o Salvador participou de uma.
Ora se o casamento que o Salvador participou foi o mesmo que se pratica hoje e a muito tempo, porque Ele mesmo, estando presente, não celebrou o casamento daquele casal, como fazem hoje os líderes de cada religião?!?!
Nos dias de hoje, notamos que existem muitas pessoas que estão se despertando para a verdade e isso lhe sabrecai inúmeros problemas, inclusive na vida a dois.
Respondendo a dúvida do irmão (a) podemos colocar em destaque a passagem de Primeira Coríntios e um esclarecimento sobre as passagens que se encontram também no livro de Mateus.
Segue a leitura.
1 Coríntios 7:10 Agora, quanto aos casados, tenho uma ordem a dar-lhes, e que nem sequer é minha, mas algo que Yaohuh mesmo estabelece. A esposa não deve abandonar o seu marido. Mas se ela se separar dele, então que fique assim, sem tornar a casar com outro, ou então que volte para o marido. E o marido não deve divorciar-se da mulher.
1 Coríntios 7:39 A mulher está ligada ao seu marido todo o tempo em que ele viva. Se ele morrer, poderá então tornar a casar, mas só se o fizer com um crente. (o que professa a mesma fé)
Este pensamento é para os casos onde os dois são crentes.
No caso de somente um ser crente ensino Bíblico é o que o NÃO CRENTE pode afastar-se e neste caso um novo casamento é permitido ao Crente.
1 Coríntios 7:12 E aqui gostaria de acrescentar mais algumas sugestões minhas, embora não se trate de ordens directas de Yaohuh. Se um crente tem uma mulher que não é convertida, e ela quiser ficar com ele, mesmo assim não deve deixá-la. E se uma mulher crente tiver um marido que não é crente, e ele quiser que ela permaneça com ele, que não se divorcie. Porque a esposa crente traz santidade ao seu marido e o marido crente traz também santidade a sua esposa. De outra maneira, os seus filhos seriam imundos. Mas agora eles estão santificados. Mas se o marido ou a mulher que não forem crente estiverem realmente decididos a separar-se, pois que o façam. Em casos desses, o marido ou a mulher crente não devem insistir para que o outro fique porque Yaohuh quer que vivamos em paz. Contudo vocês mulheres não sabem se os vossos maridos virão a converter-se se ficarem; e o mesmo para os maridos em relação às mulheres que queiram afastar-se. E, acima de tudo, o que é preciso é que tenham a certeza de estar a viver como Yaohuh pretende, casando-se (morando junto) ou não. Este é o meu critério para todas as Igreja.
Estas informações são para quem já se despertou para verdade.
E Mateus.
SOBRE DIVÓRCIO
Nós lemos Mateus 5: 31 e 32 e pensamos nele com nossas categorias ocidentais, posteriores à predominância política do Cristianismo sobre este lado do planeta, impondo não uma nova consciência, mas apenas uma nova Moral.
Todavia, quase nunca levamos em consideração o contexto no qual Yaohushua disse esta palavra. Naqueles dias, embora a poligamia e a bigamia — tão constantes no Antigo Testamento — ainda existissem, desde o exílio em Babilônia que ela vinha diminuindo — por questões econômicas, como é obvio!
Todavia, ainda que ambas não fossem a norma para a maioria, na prática, no entanto, era ainda uma consciência prevalecente.
Prova disso é que em João 8, no episódio da mulher adultera, o Salvador não se apresenta o “homem” com quem essa “adultera”, adulterara. “Ele”, o homem, estava isento das pedradas. Mas a mulher estava lá, seminua ou nua, exposta a todos.
Portanto, quando Yaohushua diz que a Lei dizia que um homem poderia des-cartar a sua mulher dando-lhe uma carta de divórcio, Ele falava isto a uma assembléia machista, que praticava isto com muita alegria e facilidade. Tudo era motivo para se divorciar. Literalmente, por qualquer motivo, como vemos em Jeremias e outros especialistas ( Mt 19:3)
Isto para não falarmos na briga doutrinária que havia, nos dias de Yaohushua, entre as escolas de Shamai e Hillel em relação ao tema em questão. Era o reino da banalidade relacional.
Nesse caso, o que Yaohushua diz, levando-se em consideração o “contexto historio”, é basicamente o seguinte:
1) Se, para vocês, a mulher é adúltera quando trai o seu marido, dando-se fisicamente a um homem, todavia, vocês, os homens, cometem muito mais adultério pelo modo “natural” como olham e desejam mulheres (MT 5: 28);
2) Neste mundo onde o homem “descarta” a mulher—ela sem direitos a mesadas e a patrimônio, estigmatizada pela Moral vigente e, praticamente, entregue a sobreviver como pudesse—a única cláusula, de permissão ao divorcio era se a esposa traí-se o marido; ou seja: “… em caso de adultério” (5: 32b). Nessa caso, o homem poderia dar a ela carta de repudio e divorcio. Naqueles dias, mulheres não se divorciavam dos homens. Era a LEI.
3) A razão, portanto, tinha a ver com o estigma que a “repudiada”, a divorciada, carregaria, naquela sociedade, daí para frente. Ao homem era permitido—por qualquer motivo—desamparar a esposa, repudiando-a, e, então, depois disto, era-lhe “lícito” escolher outra mulher e seguir adiante com sua vida. Não era sempre bigamia, mas era sempre uma monogamia sucessiva. Ela era extremamente praticada até que Shamai, um rabino, se levantou contra aquela injustiça, discutindo os “motivos justos para dar uma carta de divorcio”, que, à semelhança do Salvador, para ele, também era o adultério.
Todavia, a preocupação era com o estado de desamparo no qual ficava a mulher repudiada-divorciada, pois, para todos, ela passava a ser fadada a nunca mais amar ninguém e nem ter ninguém, apenas porque alguém não a quis mais, por qualquer motivo.
Esta é a razão pela qual o Salvador — após denunciar o adultério subjetivo de todos os homens—diz que a preocupação era com expor a mulher a tornar-se adultera (Mt 5: 32c), e, também com “aquele” que, porventura, à ela se ajuntasse, pois, ele também, passaria a ser visto como o marido da repudiada.
Numa sociedade onde o homem tinha todos os privilégios, incluindo o de ter uma segunda esposa caso a pudesse sustentar, descartar a esposa e entrega-la ao mundo com uma letra R, de Repudiada, escrita na testa, e, ainda, esperar que ela vivesse de vento, expunha-a a tornar-se adultera — fosse pela necessidade de ser sustentada por alguém, fosse pela realidade de ter encontrado alguém. Assim, em Mt 5: 27-28, Ele iguala a todos no nível do adultério subjetivo.
Já em Mt 5: 31-32, Ele nos mostra como uma vítima da dureza de coração de um homem — que descarta e não cuida da vida humana que ao seu lado esteve — pode, numa sociedade regida pela Teologia dos Fariseus, ser ainda mais des-graçada.
O “repudio” do homem tornava a mulher, no mínimo, uma “repudiada” e, no caso dela prosseguir com a vida—sem ter que se entregar à MENDICÂNCIA, veja o ex da Noemi, sogra de Rute —  a exporia a ser vista, para sempre, como adultera. Dessa forma, o Salvador afirma duas coisas: primeira, a seriedade do vinculo entre dois seres humanos numa relação de casamento; e, a segunda, a possibilidade de que a alma humana pudesse se endurecer tanto, que usasse a do outro, e depois, simplesmente a descarta-se, sem cuidado e sem proteção.
Em outras palavras: Yaohushua não entrou na questão da Lei — até Moisés teve mais de uma esposa — mas na questão da misericórdia, e, sobretudo, no tema da discriminarão Moral do infeliz; e, também no tema da Teologia dos Fariseus e a sua dureza predatória — suas Leis de causa e efeito da infelicidade — que, naquele caso, era uma Lei animal, que tratava a companheira como lixo.
E por que digo isto?
Por duas razões:
1) Porque é o que vejo no trato do Salvador com as mulheres de todos os tipos de vida durante os Evangelhos, quase  todas elas vinham de vidas infelizes
2) Minha leitura da Escritura toda ela, está irremediavelmente ligada à única chave de interpretação que eu creio que é absoluta: “O Verbo se fez carne” — essa é a chave da interpretação! Logo é no Verbo Encarnado, Yaohushua, onde vemos o Verbo virar Vida, em todos os sentidos – logo “ELE amou o mundo de TAL maneira…
Ora, isto nos leva não a ler o que Yaohushua disse e , para melhor entender o texto, fazermos uma analise da passagem. Ao contrário: isto nos leva a ler e ouvir o que Yaohushua disse, e, ver, nos evangelhos, como Ele encarnou aquele Verbo.
Ora, quando fazemos isto, não temos mais o Evangelho que Yaohushua falou e nós “interpretamos” como bem desejamos; e o Evangelho que Yaohushua viveu, que nós usamos para nos inspirar na fé. E esquecemos que são naqueles encontros com a vida que cada um de Seus ensinos—literalmente, cada um deles—, teve sua verdadeira interpretação.
Yaohusua nunca ensinou aquilo que Ele não encarnou, como manifestação da Benevolência!
A tentativa de fazer análise das falas de Yaohushua, e não levar em consideração como Ele tratou as pessoas pelo caminho, é audaciosa, pois, coloca-nos como “os interpretes da Lei”: com a Chave da ciência debaixo do braço, pondo-nos numa posição na qual Yaohushua pode ser esquizofrenizado pelas nossas doutrinas e Teologias; ou seja: ensinando uma coisa — geralmente legalista em seus conteúdos — conforme nós “interpretamos” as falas de Yaohushua; enquanto, também evangelizamos, falando do modo misericordioso como o Salvador tratou com amor os pecadores.
O problema é que, na maioria das vezes, o Yaohushua que encontra pessoas pelo caminho—gente de todo tipo—, não combina com as “interpretações” que fazemos de Suas Palavras.
Quem é que está com problemas? Seria Yaohushua um “esquizofrênico”?
Seria Ele como os fariseus, que diziam e não faziam?
Ou como os “interpretes da Lei”, que punham fardos pesados sobre os homens que eles nem com o dedo queriam tocar?
Ou nós é que continuamos sofrendo da doença deles?
Responda-me:
Crendo que Yaohushua é o Verbo encarnado, como você interpreta o que Ele disse?
À luz dos ensinos de nossos interpretes da Lei? Ou, quem sabe, para o seu próprio bem, conforme o Verbo Encarnado em Yaohushua!
Yaohushua é a Palavra sendo interpretada aos nossos olhos!
Afinal, o Verbo se fez carne e habitou entre nós… e vimos a Sua Benevolência…!
Esta parte, seria informativa a saber que o Soberano Yaohuh é amor e justiça. Que jamais fará de nós pessoas cativas, mas entregou seu filho para que todos que nele creem vivam e novidade de vida, em liberdade e contínua paz.
Sexo e Casamento:
VERDADEIRAMENTE O CASAMENTO É O SEXO MESMO
Casamento civil, no cartório é algo humano e não espiritual
ou seja:
O Criador não leva em conta se você tem ou não esse DOCUMENTO
não ha nenhuma referencia na Escritura que se deva ou não fazer esse documento de casamento.
Claro: embora de forma social, humana e de direitos o casamento no cartório seja extremamente importante.
Já o casamento religioso é extremamente condenável perante as Escrituras
pois significa IR APÓS OUTROS DEUSES
a cerimonia toda é pagã e ainda contrária ao que o Criador ensinou, como por exemplo os votos feitos pelos noivos na presença das testemunhas
aquilo é um laço do adversário
Casar é morar na mesma casa  sob alguns pontos de vistas de acordo com a Escritura.
Casar também é o ato sexual sob alguns pontos de vistas de acordo com a Escritura
Mas casar de acordo com as Escrituras, não é cartório, e muito menos Religioso
cartório nem tem na Escritura e o religioso é condenado na Escritura
Quanto a festa de casamento, isso é outra Estoria, ou seja: isso é outra coisa.
A FESTA DE CASAMENTO (UNIÃO) para passar a morar a partir dai na mesma casa é
altamente positiva na Escritura
O Nosso Salvador em uma dessas festas que compareceu fez seu primeiro milagre
Sansão que era Homem do Criador fez 7 semanas de festa em seu casamento e assim por diante.
A festa não é pagã, já a cerimonia RELIGIOSA de casamento, é pagã
O normal é alguém falar algumas palavras bonitas aos noivos e fazer uma oração ao Criador em nome da união
no momento da festa em que os dois estarão bem vestidos com vestes NUPCIAIS
que tem grande amparo da Escritura.
Mas aquela cerimonia com damas de honra, entrada solene, feita no templo, votos, troca de alianças, vestido de noiva, juramento e tudo mais é paganismo e contrário a vontade do Criador
Já FAZER SEXO COM QUEM VOCÊ AMA E AUTOMATICAMENTE COM QUEM AMA VOCÊ NÃO É PECADO HORA NENHUMA
PAULO CHEGOU A DIZER QUE MESMO A MENINA SENDO VIRGEM , NÃO PECA.
Esses homens do sistema religioso odeiam quando falo isso, mas é assim que está escrito
é assim que Paulo ensinou.
PECADO É FAZER OU PENSAR EM FAZER QUALQUER MAL CONTRA O PRÓXIMO
fazer amor com quem ama, me parece ser o contrário, ou seja: fazer o bem ao próximo, mais próximo ainda
pois é considerado UMA SÓ CARNE.
– Segue abaixo respostas a 2 emails recebidos sobre sexo e casamento –
Irmão Rubens (URGENTE)
Feliz estou meu amado, por sua atenção, pode ter certeza que acompanharei sim, inclusive minha “futura” axiliadora, ficou muito chateada comigo, por eu ter largado o sistema, eu mostrei ela o video LEI e GRAÇA, nossa ela ficou furiosa…mais eu tenho que passar o que aprendi com o senhor…
o que eu queria pedir, era se o senhor pode fazer um video, explicando o CASAMENTO nos dias de hoje, já que não fazemos mais parde do templocentrismo, me explica como podemos casar, pois eu estou querendo casar esse ano ainda, eu queria uma orientação do senhor sobre isso, pois o meu pai, ele é “pastor” evangelico, ele tem um templo, ele realiza casamentos aqui, ele também é “juiz de paz”, eu não quero e não vou me casar diante de sistema, mesmo sendo meu proprio pai, eu me recusei a casar na “igreja” dele, gostaria de saber o que o senhor pode me ensinar sobre isso, quero fazer o que é certo diante do Criador, quero ter um casamento abençoado por ele.
me explique meu irmão!a Paz!
RESPOSTA
Amado
pergunte a qualquer pastor, qual casamento que consta na Escritura foi realizado em um templo.
Veja bem.
Nem naquele templo de Salomão feito ao deus das trevas NUNCA houve uma cerimonia de casamento.
de onde se tirou isso então?
Do paganismo!
A cerimonia de casamento é uma coletânea de ações religiosas de origem pagã
A festa de Casamento e trajes nupciais, são vistos na Escritura tanto na nova como antiga aliança
Mas cerimonia religiosa é paganismo generalizado.
Cada ato tem um significado que foi herdado do paganismo de diversos países e épocas desde os sumérios.
Já quanto ao cartório, ou seja civil não há nada contrario nas Escrituras por não se tratar de ato religioso mas civil mesmo
ou seja de cidadãos, humanos, de homens etc.
O casamento como contrato no cartório não é algo que nosso Criador enxergue diretamente como bom ou ruim, certo ou errado
ou seja: diretamente não tem nada a ver com Ele
Ele nunca mandou. nem também proibiu.
Assim eu vejo o casamento no civil algo justo perante o meio social e para algumas garantias de lei do país etc.
Peço que o amado pesquise juntamente com sua amada, sobre a cerimonia de casamento antes de decidir a favor ou contra a mesma e assim decidam os dois.
Algumas pessoas me escrevem com situações parecidas e ainda por esses dias respondi a alguém
creio que meu ponto de vista possa servir de analise tb para vocês dois.
Estou transcrevendo abaixo o referido Email.
O foco do casamento passou diretamente para a festa, a cerimonia e contrato no cartório
mas nas Escrituras é muito mais amplo
Casamento na Escritura não acontece em um dia, mas ao longo de uma vida.
a importância do casamento no mundo passou para as núpcias.
Assim o mundo dá extrema importância a esse dia (o casamento mundo) e se esquece o que o Criador falou do casamento que não se trata de um evento mas uma vida a dois todos os dias (o casamento do Criador)
Acaso não percebeu que as novelas, os artistas, os filmes etc. enobrece a festa de casamento e empobrece o casamento (ao longo dos anos) como fidelidade, compreensão e amor?
Perceba que parecem coisas distintas na visão do sistema.
Enquanto você os vê incentivando a cerimonia de casamento. vê os mesmos trabalhando insistentemente contra o casamento(verdadeiro).
que fala de FIDELIDADE, união ao longo da vida a dois. etc.
=====================
– abaixo o Email –
Quanto ao Sexo e o Casamento.
VERDADEIRAMENTE O CASAMENTO É O SEXO MESMO
Casamento civil, no cartório é algo humano e não espiritual
ou seja:
O Criador não leva em conta se você tem ou nao esse DOCUMENTO
não ha nenhuma referencia na Escritura que se deva ou não fazer esse documento de casamento.
Claro: embora de forma social, humana e de direitos o casamento no cartório seja extremamente importante.
Já o casamento religioso é extremamente condenável perante as Escrituras
pois significa IR APOS OUTROS DEUSES
a cerimonia toda é pagã e ainda contrária ao que o Criador ensinou, como por exemplo os votos feitos pelos noivos na presença das testemunhas
aquilo é um laço do adversário
Deixe para decidir sobre o casamento religiosos mais pra frente quando tiver mais entendimento sobre ele nas Escrituras.
Casar é morar na mesma casa sob alguns pontos de vistas de acordo com a Escritura.
Casar também é o ato sexual sob alguns pontos de vistas de acordo com a Escritura
Mas casar de acordo com as Escrituras, não é cartório, e muito menos Religioso
cartório nem tem na Escritura e o religioso é condenado na Escritura
Quanto a festa de casamento, isso é outra Estoria, ou seja: isso é outra coisa.
A FESTA DE CASAMENTO (UNIÃO) para passar a morar a partir dai na mesma casa é altamente positiva na Escritura
O Nosso Salvador em uma dessas festas (não CERIMÔNIA RELIGIOSA) que compareceu fez seu primeiro milagre
Sansão que era Homem do Criador fez 7 semanas de festa em seu casamento e assim por diante.
A festa não é pagã, já a cerimonia religiosa de casamento, é pagã
O normal é alguém falar algumas palavras bonitas aos noivos e fazer uma oração ao Criador em nome da união
no momento da festa em que os dois estarão bem vestidos com vestes NUPCIAIS que tem grande amparo da Escritura.
Mas aquela cerimonia com damas de honra, entrada solene, feita no templo, votos, troca de alianças, juramento e tudo mais é paganismo e contrário a vontade do Criador
posso posteriormente te mostrar mais sobre isso
Já FAZER SEXO COM QUEM VOCÊ AMA E AUTOMATICAMENTE COM QUEM AMA VOCÊ NÃO É PECADO HORA NENHUMA
PAULO CHEGOU A DIZER QUE MESMO A MENINA SENDO VIRGEM , NÃO PECA.
Esses homens do sistema religioso odeiam quando falo isso, mas é assim que está escrito.
é assim que Paulo ensinou.
PECADO É FAZER OU PENSAR EM FAZER QUALQUER MAL CONTRA O PRÓXIMO
fazer amor com quem ama, me parece ser o contrário, ou seja: fazer o bem ao próximo, mais próximo ainda
pois é considerado UMA SÓ CARNE.
PAZ
– DERRADEIRO EMAIL –
Foi isso que eu tinha feito no ano passado quando decidi abandonar o sistema, perguntei o “pastor”, do templo no qual eu frequentava, ele veio cheio de lorota pra cima de mim, eu estava fazendo teologia no seminário batista em macaé, o professor que me dava aula falou a mesma coisa que o senhor, ai eu fui perguntar o “pastor” ele disse que o professor esta endemoniado porque falou isso…kkkkk
foi como o senhor disse ai irmão, o sistema fica doido quando não encontra amparo nas Escrituras para suas praticas…
eu ja tinha essa visão, mais não tão apurada assim, agora o senhor me ajudou…
em relação a teologia, eu abandonei, faltando apenas 1 ano para terminar.
eu vi que para estudar as Escrituras eu não preciso aprender essa teologia sistemática do templo centrismo já que o Espirito Santo é meu ajudador… e tem levantado pessoas como o senhor para nos ensinar!
Obrigado irmão Rubens estarei pedindo ao Salvador por sua vida e por seu Ministério que muito tem nos ensinado!
um dia se assim o Criador permitir gostaria de conhecer o senhor e o seu trabalho mais a fundo, pois o senhor e um homem muito sábio!
a Paz !

4 comentários sobre “Análise sobre casamento e separação

  1. luciano

    queria saber qual livro ou biblia se aproxima mais na escritura para nao continuar a ser enganado e aprender para ensinar creio que esse e nossa missao. e parabens pelo despertamento das igrejas….

  2. Eliézer

    Boa noite! Acho que a pauta tratada acima, foi muito bem escrita e com boas argumentações, só uma coisa faltou, base, principalmente a bíblica. Citar um texto do Ap. Paulo, onde ele mostra que não devemos fazer mal a uma virgem, ou seja, não tirar o que ela possui em seu templo de mais valioso, que é a sua pureza, não é o suficiente para concretizar esta tese e dizer que toda a cerimônia é pagã. Meu ponto de vista: se não houver uma cerimônia onde recebemos a benção do Senhor e isto é concretizado através das ações do casal em conjunto, com certeza o compromisso com o próximo no caso, cônjuge, não seria tão forte como o é. Não haveria um compromisso selado diante do Criador.
    Graça e Paz a todos os irmãos em Cristo!

  3. Horacio Almeida

    Ola Rubens, primeiramente quero parabeniza lo pelo excelente trabalho que vem fazendo, mas tenho ainda uma dúvida sobre o tema Casamento. Assisti seu video e notei que voce não mencionou nas escrituras a parte que fala que se um casal se separar, nenhum dos dois pode casar com outra pessoa enquanto o marido ou a mulher estiver viva. Estou cadado a 30 anos e não tenho intenção de me separar, e acho que minha mulher também não hehe, mas mesmo assim gostaria de saber sua opinião. OK? Paz, e continue fazendo esses vídeos maravilhoso, que nos abre muito o entendimento sobre as coisas do nosso CRIADOR. Abraços

  4. Evanildo Coutinho

    Olá irmão Rubens bom dia tudo na paz, amado eu sou casado há 23 anos, casei na Igreja católica e no civil, depois de um tempo me convertir a Jesus na Igreja Batista, e aí será que fui amaldiçoado de alguma forma e o que devo fazer?…

Deixe uma resposta